Sob o Crivo da Razão 1 Titulo

Assuntos diversos sob o crivo da razão.

Escolha seu caminho misticismo ou razão 2 Titulo

Variada pesquisa ao seu dispor videos, artigos e palestras .

Cientistas Espiritas 3 Titulo

Descubra aqui os ciêntistas que pesquisaram a doutrina espirita, e poste suas dúvidas.

Descubra o pensamento Liberal Espirita 4 Titulo

Neste espaço você vai entender porque a doutrina espirita é inconciliável com o socialismo.

Debates e crítica literária espirita 5 Titulo

Um espaço para o contraditorio, onde colocamos em dúvidas muitas questões tidas como doutrinarias.

Pesquisar este blog

Seguidores

sábado, 25 de maio de 2013

Tenha o Hábito da Leitura



 Ter o hábito da leitura é o antídoto que nos impede de ser alienados.

Análise do conceito de alienação
A palavra alienação vem do latim alienus, que veio a dar “alheio”, significando "o que pertence a outro".
No domínio do direito, a alienação designa o ato de transferência da posse ou do direito de propriedade de alguma coisa para outrem, seja por doação seja por venda.

Exemplos de alienação: O individuo assiste uma noticia ou lê um artigo do jornal, mas, não faz a critica da veracidade do que vê e ouve apenas aceita as opiniões e crenças sem cogitar sua veracidade.
Ou seja, ele deixa para o outro dizer por ele, o que é bom e ruim, certo e errado.

Alienar, portanto, é tornar alheio, é transferir para outrem o que é seu.

Por isso a leitura é importante para que você não prejudique sua educação e seu aprendizado Uma pessoa que lê freqüentemente aprende muito, amplia o conhecimento e aprende cada vez mais.

Ler, sobretudo para não nos tornarmos seres alienados.

Com a leitura você esta construindo seu conhecimento pessoal desenvolvendo o amor pela vontade de saber mais com curiosidade buscando sentidos mais construtivos.
O mundo é dominado pela palavra escrita, hoje muito mais do que ontem, pois antes no café da manhã, tínhamos o jornal predileto, onde ficávamos a par dos acontecimentos políticos, sociais e econômicos.
Hoje temos além do jornal predileto, as homepages de notícias favoritas. São centenas de sites, cada um com sua informação.
Entretanto, com todo este estímulo para a leitura, pouco se lê no Brasil.
Institutos de pesquisas afirmam que o brasileiro lê dois livros por ano, e com certeza não são leituras que acrescentam algo na alma.
O livro é um bom amigo onde sempre vamos encontrar uma palavra de conforto, uma afirmação de encorajamento, no livro é onde está depositado a sabedoria humana e a divina.

Como afirmou Marco Túlio Cícero, ”Uma casa sem livros é como um corpo sem Alma”.
Mas, devemos ter cuidado na escolha de nossa leitura evitando temas melancólicos e pessimistas, pois as conseqüências são as angustias, fobias entre outras.
O livro deve acrescentar ânimo, conhecimento, esperança e conferir maior eficiência para se enfrentar os desafios do nosso dia-a-dia.
Cada livro que abrimos, é uma janela por onde penetra a luz, o ar puro, tão necessário à saúde.


Em minha biblioteca particular, é onde entro em contato com os gigantes da filosofia como: Platão, Sócrates, Aristóteles,
Thomas Paine, Baruch de Spinoza, Carl Sagan entre outros, mas não faltam os gurus da administração e Marketing, como: David Ogilvy e Peter Drucker. Tenho a oportunidade de sentar-me com os ícones da indústria e do comércio na mesma sala onde estão reunidos os grandes pensadores, e é ali onde posso colher boas idéias.

A palavra ler vem do latim legere, que significa ao mesmo tempo ler e colher, por isso Faguet define a leitura como A Arte de Colher Idéias.
Dito isto agora você precisa das ferramentas para colheita, que são:
Ter um propósito definido;
Encontrar o pensamento central do texto;
Ter uma visão panorâmica;
Procurar interpretar;
Conhecer o livro antes, ou seja; Abra o livro, leia o índice, folheie, passe os olhos por todas as páginas e caso encontre alguma afirmativa curiosa comesse a ler, não se esqueça do marcador de texto e do dicionário.

Espero que você tenha entendido os benefícios da leitura, mas como sou mais leitor do que escritor, para finalizar recorro a Emile Faguet:

“E assim, a leitura, um dos mais seguros instrumentos de progresso intelectual; é o elixir que impede aos homens, transformar-se em animais.”

Francisco Amado
Filosofo Deísta.
Web - Writer.(Web Escritor) Administrar e criar o conteúdo de texto, fotos e imagens de um site.
Mestre Seo. Desenvolve blogs corporativos, Aperfeiçoa sites, administra divulgação em redes sociais  

sexta-feira, 24 de maio de 2013

A farsa do livro Evolução em Dois mundos


O artigo “A Física no Espiritismo”, de Érika de Carvalho Bastone, trata de analisar dois livros de Chico Xavier e Waldo Vieira do ponto de vista da Física. Aqui neste blog serão apresentadas apenas uma parte das críticas da autora (em que houve concordância por um outro físico) de um dos livros, no caso “Evolução em Dois Mundos”, cujo autor “espiritual” seria André Luiz.

Também serão aproveitadas críticas do biólogo Júlio César Siqueira.
O livro vai ser apresentado em LARANJA a analise critica em VERDE

Trechos do livro em análise

Comentários

Página 10, Capítulo 1, por Waldo Vieira:

Sob a orientação das Inteligências Superiores, congregam-se os átomos em colmeias imensas, e, sob a pressão, espiritualmente dirigida, de ondas eletromagnéticas, são controladamente reduzidas as áreas espaciais intra-atômicas, sem perda de movimento, para que se transformem na massa nuclear adensada, de que se esculpem os planetas, em cujo seio as mônadas celestes encontrarão adequado berço ao desenvolvimento.


[Esse trecho] descreve a formação dos planetas como agrupamento de átomos que sob força eletromagnética espiritualmente dirigida têm área espacial intra-atômica reduzida formando os núcleos adensados que darão origem aos planetas. Os planetas teriam vida até que implodiriam sob a pressão dos átomos, e depois explodiriam, em processo de reciclagem. [Essa] descrição [é] incoerente com o atualmente postulado pela ciência. Os planetas não implodem sob a pressão dos átomos (contudo isso ocorre com as estrelas…). E essa implosão não dá como resultado uma explosão (não no caso das anãs brancas - estrelas. Contudo, dá com as supernovas). A força eletromagnética diminui a área intra atômica? Ela diminui o tamanho do átomo? Penso que não. Na verdade, penso que ela talvez defina o tamanho do átomo. E ela não define o tamanho do núcleo atômico (não faz o núcleo diminuir), se for isso que ele quer dizer com núcleos adensados. (Comentário de Júlio César Siqueira)

------------------------------------------------------------------------------------------------

Página 10, Capítulo 1, por Waldo Vieira:

… confessamos que não sabemos ainda, principalmente no que se refere à elaboração da luz, qual seja a força que provoca a agitação inteligente dos átomos, compelindo-os a produzir irradiações capazes de lançar ondas no Universo com velocidade de 300.000 quilômetros por segundo.

Na primeira metade do século XX tanto a física quântica quanto o eletromagnetismo (eletrodinâmica) já estavam formulados. A emissão de luz é, atualmente, um fenômeno explicado e controlado (aplicações tecnológicas).

(Comentário de Érika de Carvalho Bastone)

---------------------------------------------------------------------------------------------

Página 28, Capítulo 7, por Waldo Vieira:

Lentamente, os cromossomos adquirem a sua apresentação peculiar, em forma de ponto-alça-bastonete-bengala, e a evolução que lhes diz respeito na cariocinese, desde a prófase à telófase, merece a melhor atenção dos Construtores Divinos, que através do centro celular mantêm a junção das forças físicas e espirituais, ponto esse em que se verifica o impulso mental, de natureza eletromagnética, pelo qual se opera o movimento dos cromossomos, na direção do equador para os pólos da célula, cunhando as leis da hereditariedade e da afinidade que se vão exercer, dispondo nos cromatídeos, em forma de granulações perfeitamente identificáveis entre o leptotênio e o paquitênio, os genes ou fatores da hereditariedade, que, no transcurso dos séculos, são fixados em número e valores diferentes para cada espécie.

[Esse trecho] diz que os cromossomas se movem durante a divisão celular devido à força eletromagnética, devido a impulso mental. O movimento dos cromossomas durante a divisão celular está ligado à ação mecânica de componentes do citoesqueleto, e não meramente relacionado a ações eletromagnéticas originadas diretamente de um impulso mental. (Comentário de Júlio César Siqueira)

Página 51, Capítulo 13, por Waldo Vieira: …encontra a matéria conhecida no mundo, em nova escala vibratória. Elementos atômicos mais complicados e sutis, aquém do hidrogênio e além do urânio, em forma diversa daquela em que se caracterizam na gleba planetária, engrandecem-lhe a série estequiogenética.

André Luiz prediz a existência de novos elementos químicos, aquém do hidrogênio e além do urânio. O urânio é o elemento de número 92 na tabela periódica. Acima dele temos 11 elementos da série dos transurânios, que são elementos instáveis, com meias vidas curtas, descobertos entre 1940 e 1966. Acima destes ainda temos os elementos da série dos transactinídeos, com meias vidas bastante curtas. O hidrogênio é o átomo mais simples, contendo um elétron e um próton. A existência de elementos aquém do hidrogênio, segundo o modelo atômico atual, é impossível. (Comentário de Érika de Carvalho Bastone)

Trecho de entrevista com Luciano dos Anjos.

Jornalista profissional, Luciano dos Anjos (lucianofilho@uol.com.br), trabalhou em "O Radical", "Gazeta de Notícias", "Diário de Notícias", "Visão", "O Cruzeiro", "O Mundo Ilustrado", "A Notícia" e outros órgãos, exercendo desde a função de repórter, de redator, editorialista, até a de secretário de redação e assessor de direção.

Qual a explicação para o conhecimento enciclopédico do médico André Luiz?

- Vou resumir matéria que escrevi para a edição de outubro de 1977 do Jornal Espírita, p. 3, na qual expliquei que o que André Luiz conhece bem é medicina. Tendo sido médico, prosseguiu no espaço a aplicar seus conhecimentos e até os aprimorou. Mesmo assim, no próprio campo da medicina ele se valeu de trabalhos de colegas e mestres, o que é muito normal. Toda matéria tem especializações, pesquisas pessoais, etc. Saber tudo ex-cathedra sobre todos os assuntos é pretensão, truque ou supergenialidade. Acreditar que alguém conheça em profundidade a sua especialidade e várias outras altamente heterogêneas é perfilhar a fantasia.

Não é o caso de André Luiz. Em princípio ele não poderia dominar o campo da medicina e mais o da física, da química, da eletrônica, da biologia, da genética, da sociologia, da psicologia, da pedagogia, enfim, de ramos tão variados quanto complexos da cultura universal. Seria um enciclopedismo fantástico. É óbvio que, mormente para escrever livros como Evolução em Dois Mundos e Mecanismos da Mediunidade, ele se socorreu de outros autores. E antes que algum padre ou pastor o digam de má-fé, eu mesmo direi: sei, inclusive, de que livros André Luiz retirou os elementos contidos nesses trabalhos.

Digo mais: ele nem se preocupou em alterar os textos copiados; quase usou as mesmas palavras. Eu, por exemplo, teria modificado um pouco mais, dentre outras razões para evitar problemas de direitos autorais, já que ele sequer usou aspas. Mas isso prova apenas que André Luiz não estava preocupado em esconder o que fez.

E para acentuar bem essa despreocupação, escreveu no intróito de Mecanismos da Mediunidade, p. 19 da 3ª edição:

“Prevenindo qualquer observação da crítica construtiva, lealmente declaramos haver recorrido a diversos trabalhos de divulgação científica do mundo contemporâneo para tornar a substância espírita deste livro mais seguramente compreendida pela generalidade dos leitores, como quem se utiliza da estrada de todos para atingir a meta em vista, sem maiores dificuldades para os companheiros de excursão.”

“Assim, as notas dessa natureza, neste volume, tomadas naturalmente ao acervo de informações e deduções dos estudiosos da atualidade terrestre, cabem aqui por vestimenta necessária, mas transitória, da explicação espírita da mediunidade, que é, no presente livro, o corpo de idéias a ser apresentado.”

E Emmanuel, na p. 15 do mesmo livro, advertia em forma de Prefácio:
“Compreendemos, assim, a validade permanente do esforço de André Luiz, que, servindo-se de estudos e conclusões de conceituados cientistas terrenos, tenta, também aqui, colaborar na elucidação dos problemas da mediunidade, cada vez mais inquietantes na vida conturbada do mundo moderno.”

Isto posto, o que conta na obra de André Luiz não é o conjunto de informações, possível de ser encontrado em compêndios de outros autores. O que conta é a sua tese, a sua colocação notável no contexto do espiritismo. Finalmente devo dizer que acho Evolução em Dois Mundos e Mecanismos da Mediunidade as duas melhores obras da série André Luiz.


Fonte: http://site.andreluiz.vilabol.uol.com.br/CA_luciano_dos_anjos.html

Conclusão

Até o momento foram encontrados erros somente nos trechos ditos “psicografados” de Waldo Vieira, e há indicações de cópias de fontes terrenas, ainda não reveladas.

Por prudência acredito que os livros que envolvam temas científicos passem pela análise de pelo menos dois peritos no assunto, colocando notas de rodapé nos trechos considerados discordantes. Um processo parecido com a revisão por pares que é feito em artigos científicos.

Referências

Xavier, Chico; Vieira, Waldo. “Evolução em Dois Mundos” (1960). FEB.

Bastone, Érika de Carvalho. “A Física no Espiritismo” (2003), apresentado no VIII Simpósio Brasileiro do Pensamento Espírita.

Este artigo foi apresentado no VIII Simpósio Brasileiro do Pensamento Espírita (evento bienal), ocorrido em Santos, de 17 a 19.10.2003. O organizador desses simpósios é o ICKS - Instituto Cultural Kardecista de Santos.


FONTE: http://obraspsicografadas.haaan.com/2007/erros-de-fsica-e-biologia-encontrados-no-livro-evoluo-em-dois-mundos/

TAGS:"keywords" content=" A farsa do livro Evolução em Dois mundos, A farsa do livro Evolução em Dois mundos, A farsa do livro Evolução em Dois mundos, A farsa do livro Evolução em Dois mundos, A farsa do livro Evolução em Dois mundos, A farsa do livro Evolução em Dois mundos, A farsa do livro Evolução em Dois mundos

O LADO OBSCURO DO ESPIRITISMO # SEGUIDORES DE CHICO XAVIER